L – Universidade Federal do Pará – UFPA

         Em 1957, foi criada a Universidade Federal do Pará-UFPA, que incorporou instituições de ensino superior em funcionamento no Estado, inclusive a FFCL, e as demais, tais como a Faculdade de Direito, a Faculdade de Medicina e Cirurgia, a Faculdade de Engenharia, a Faculdade de Odontologia, a Faculdade de Farmácia etc. Em 1958, em reunião da congregação da Faculdade de Filosofia, recebemos o Prof. Dr. Mário Braga Henriques, na condição de nosso primeiro Reitor.

         Como o professor titular, constitui, na Cadeira de Didática Geral e Especial, um grupo de professores assistentes para lecionarem as diversas didáticas especiais, do qual o núcleo inicial foi composto pelas professoras Eurides Brito da Silva (Didática Especial de Geografia), Maria Iracema da Frota (Didática Especial de História), Maria Helena Coelho (Didática Especial de Letras) e Ivone Vieira da Costa (Didática Especial de Pedagogia). Eu lecionava a Didática Geral e, em um semestre, ministrei, também, o curso de Didática Especial de Pedagogia.

         Já no primeiro ano de meu trabalho como professor da FFCL fui eleito Chefe do Departamento de Pedagogia, função que, reconduzido, ocupei até 1963.

Colégio Nova Friburgo

         Ainda em 1958, no mês de agosto, passei uma semana de estágio de Didática no Colégio Nova Friburgo, na cidade do mesmo nome, no Estado do Rio de Janeiro. Este colégio era uma instituição modelo e experimental em termos pedagógicos, que era mantida pela Fundação Getúlio Vargas, estando esta sediada no Rio de Janeiro, capital. No ano seguinte, 1959, voltei ao Colégio Nova Friburgo para novo estágio, sendo este de três semanas. Os estagiários ficavam em regime de internado, como, de resto, era o sistema de funcionamento do Colégio[1].

Especialistas em Educação – UNESCO – INEP – CRPE/SP – USP

          Eu e Edith passamos o ano seguinte, 1960, em São Paulo. Eu fui selecionado, pela Secretaria de Estado de Educação do Pará, como aluno-bolsista no III Curso de Especialistas em Educação para a América Latina, promovido pelo consórcio UNESCO-INEP (Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos) e acolhido pelo Centro Regional de Pesquisas Educacionais de São Paulo/USP. O Diretor do Centro Regional de Pesquisas Educacionais de São Paulo-CRPE/SP era o sociólogo e educador Fernando de Azevedo, catedrático da FFCL-USP e um dos professores do curso. Estes eram predominantemente brasileiros, como o sociólogo Duglas Teixeira Monteiro e o filósofo-educador Laertes Ramos de Carvalho, mas havia, também, norte-americanos, como Stanley Aplegate, professor de Didática, e Mr. Short, professor de Administração Escolar. Havia, ainda, os professores-conferencistas, tais como Fernando Henrique Cardoso, Roque Spencer Maciel de Barros e Egon Schaden, entre outros. Os bolsistas deste curso eram 50% hispano-americanos e os demais, brasileiros de diferentes Estados. Os bolsistas   – assim, eu com minha esposa Edith –   moravam em apartamentos no próprio prédio do CRPE-SP, na Cidade Universitária da USP, que, à época, ainda se encontrava em intensa construção. A Edith, para ter o direito de morar no CRPE comigo, assumiu o compromisso de prestar assistência médica aos bolsistas, o que de fato ocorreu. Neste ano, fui eleito pelos colegas do curso presidente da Associação Latino-Americana de Educação, que congregava todos os alunos desses cursos. No final do curso, defendi minha monografia perante banca examinadora e recebi meu diploma. Durante este ano, a Edith estagiou no Departamento de Clínica Médica da Escola Paulista de Medicina. Em janeiro de 1961, retornamos a Belém, onde reassumimos nossas funções profissionais e universitárias.


[1] – Onde o Ruy Seligmann, meu cunhado, veio a estudar por minha indicação.