S – Viagens

         Ainda reportando-me ao escotismo, cf. acima, passo a registrar que as primeiras viagens internacionais do José Jorge, do Álvaro e do Márcio foram para participar de grandes eventos escoteiros na Guatemala e no Paraguai. O Márcio esteve presente a uma atividade escoteira internacional, na Indonésia. Neste mesmo campo de atividades, registro, ainda, que participei de importantes reuniões escoteiras de caráter mundial em Genebra   – quando tive o Álvaro ao meu lado -, em Santiago do Chile, em Assunção (Paraguai), em Paris, e na Austrália (Sidney, Melburne, Brisbain, a barreira de corais etc.) com extensão até a Nova Zelândia (Aukland e outras cidades; estive, também, em uma aldeia Maori destes nativos do país do Pacífico).

Nesta Linha de Abordagem de Viagens

         Os filhos/as conhecem praticamente todo o Brasil.

         Com dezoito anos de idade, cada um a sua vez, José Jorge, Álvaro e Márcio viajaram, sós, pelo Mundo; estiveram nos Estados Unidos e na Europa (onde visitaram muitos países), se demorando cada qual um ano no exterior (cf. acima). Foram experiências marcantes e fortes na vida de cada um. O José Jorge, quando fazia a pós em Illinois, USA, viajou à China[1], de onde foi para o Japão, para as Filipinas e outros países do sudeste asiático. Já pai de família e economista do Banco Interamericano de Desenvolvimento-BID    – no qual trabalha na direção continental, em Washington-, meu filho mais velho morou na Argentina por um período de mais de dois anos, país a que tem ido com muita freqüência, a serviço do BID, e, neste trabalho, já esteve, também, no Haiti, na Bolívia, no Paraguai e na República da Guiana, e tem vindo, com freqüência, ao Brasil, principalmente, a Brasília e ao Rio de Janeiro; tem estado de férias com a família na França, na Alemanha, na Holanda, na Grécia, no Havaí e já esteve no Taiti e, em outros países. Casado e profissional, mora com sua família em Bethesda, cidade localizada ao lado de Washington, nos Estados Unidos. O Álvaro, fez o doutorado em Marburg, Alemanha; é doutor-médico especializado em psiquiatria infanto-juvenil, e, participando de eventos científicos ou de férias, tem viajado à França, à Suíça, à Áustria, a Portugal, aos Estados Unidos, à Turquia, à Holanda e a outros países, assim como tem estado no Brasil. Mora com sua família em Hamburg, Alemanha, onde exerce sua profissão, sendo médico, um dos diretores e sócio-proprietário de uma Clínica de Psiquiatria e Psicoterapia Infanto-Juvenil. O Márcio, quando foi participar do evento escoteiro na Indonésia, também, esteve em outros países do sudeste asiático; fez seu doutorado em Belim, Alemanha, juntamente com a Cláudia, sua esposa, e, como professor universitário, tem estado no Estado de Israel, na França, na Alemanha, em Portugal, na Espanha, na Hungria, na República Tcheca, Rússia, nos Estados Unidos, no México, na Argentina, no Chile; tem visitado a Holanda; casado e professor, mora em Campinas, Estado de São Paulo. A Rosana   – a par da estada nos Estados Unidos nos seus 15/16 anos -, já estudante universitária e, depois, já formada, viajou algumas vezes, aos Estados Unidos e à Europa, onde esteve em diversos países: França, Áustria, Hungria; tem estado em Amsterdam, e foi à Dinamarca, para fazer curso de teatro com o teatrólogo Eugênio Barba, e três vezes, à Índia, para estudar ioga na origem, além de ter morado em Colônia (Köln), onde casou; tem voltado à Alemanha. Atualmente, casada e professora, mora em São Paulo. A Andréa começou a viajar ao exterior, um pouco mais tarde; ela disse uma ocasião que foi assim porque ela é a caçula; é possível que sim; mas, no Brasil, ela viajou desde cedo de férias por vários Estados. Suas viagens ao exterior   – e elas já foram muitas -, praticamente se realizaram em função do exercício da profissão de cineasta, da pós-graduação e do casamento. Cursou a pós-graduação em Nova York, USA. Percorreu muitos países, principalmente, participando de festivais de cinema, mas, também, fazendo turismo, tais como: França (inclusive, Cannes), Ucrânia, Grécia, Noruega, Itália, Bélgica, Chile, Cuba, México, países das Américas Central e do Sul etc. etc. etc.; esteve várias vezes na Alemanha, inclusive  estudando a língua alemã. Casada, mora com sua família em Amsterdam, Holanda, onde exerce sua profissão.

Viagens dos Pais

          Viajamos muito. Em missões de trabalho, pesquisa, participação em congressos científicos ou em viagens de turismo com a família e/ou em visita a familiares, viajei (só, com a Edith ou com toda a família) a todos os Estados do Brasil, mesmo ao mais novo, Tocantins, onde estive ao tempo em que ainda era Goiás. Estive nas capitais e no interior dos diversos Estados. A Edith também conhece quase todos os Estados do país. Viagens ao exterior, em atividades com semelhantes finalidades: na América do Sul, apenas não estive no Equador, no Suriname e na Guiana Francesa. Estive nos demais países, sendo que eu e a Edith fomos diversas vezes à Argentina (onde também estive outras vezes só) em visita ao José Jorge e família, quando eles estiveram morando lá. Edith esteve, também, na Venezuela. Eu e a Edith estivemos no Uruguai mais de uma vez e, em outra oportunidade, com a Andréa e o José Jorge.  No Norte, eu e a Edith estivemos no México (onde já fui, também, mais de uma vez), nos Estados Unidos (várias vezes, em turismo e/ou, principalmente, em visita ao José Jorge e família, e, também, à tia e primos da Edith, e participando de congresso) e no Canadá. A Edith e eu estivemos diversas vezes na Europa juntos ou em viagens individuais. Estivemos na Europa Ocidental visitando os filhos Álvaro, Andréa e Rosana, e famílias, fazendo turismo ou participando de eventos científicos. Dos países da Europa Ocidental, não conheço apenas aqueles países muito pequenos, dos quais, aliás, estive só no Estado do Vaticano; conhecemos Londres, a cidade em que a Edith nasceu. Assim, já estive em todos os demais países da Europa Ocidental, entre os quais visitamos os países do sul    – Grécia, Itália, Espanha e Portugal –   e todos os países nórdicos, inclusive, eu estive na Finlândia. Estive em São Petersburgo, na Rússia. A viagem de turismo que eu e Edith fizemos pela Grécia e sul da Itália inclusive a Cicília foi linda e culturalmente muito enriquecedora. Entre outras viagens em companhia um do outro, eu e a Edith estivemos na Áustria (quando fomos, também, ao Tirol) de onde fomos para a República Tcheca. Como nesta, na Europa Oriental, estive também na Polônia. Na Oceania, estive por um mês na Austrália e na Nova Zelândia. Eu e Edith, em janeiro de 2008, fizemos um cruzeiro, em um grande navio, em torno das Patagônias argentina e chilena; partimos de Buenos Aires, estivemos em Montevidéu, em frente às Malvinas-Falklands (onde não pudemos descer por causa de uma tempestade), passamos pelo extremo sul do continente e finalizamos o percurso em Santiago do Chile. De 14 de junho a 21 de julho de 2008, eu e Edith realizamos uma longa viagem pela Europa; inicialmente, fomos para Amsterdam, onde estivemos com a Andréa e nossas netinhas (o Marco, meu genro, estava trabalhando na Bélgica). Lá, o Álvaro e sua namorada Andrea passaram um final de semana conosco. De Amsterdam, viajamos com a Andréa, nossa filha, e com nossas netinhas Eva e Paula para a Noruega, onde estivemos em Oslo e em Bergen, tendo sido belíssima a viagem por terra, pelas montanhas, e pelos fiordes entre essas duas cidades. Retornamos a Amsterdam, onde ficamos uma semana e, em seguida, viajamos para Brüges, na Bélgica. Desta cidade, fomos para Londres, onde, então, estive pela primeira vez. De Londres viajamos para Rennes, na França, para visitar nossa neta Hélèna, que estava esperando bebê. Quando lá estávamos, nasceu a Leïla, nossa bisneta. De Rennes fomos para Paris, a “cidade luz”, de onde retornamos a São Paulo. Em Paris, nos encontramos com o José Jorge e família, que estavam viajando. Viagem maravilhosa! Em 2010, eu e a Edith fizemos uma viagem triangular: fomos para os Estados Unidos, onde estivemos com o José Jorge e família, fomos ao Colorado visitar primos da Edith e estivemos em Detroit em visita à tia da Edith; dos Estados Unidos seguimos para Amsterdam, onde estivemos com a Andréa e família, nos encontramos com o Márcio em viagem na Europa, fomos a Rennes para estar com a Hélèna e a Leïla e o Ivan (marido da neta) e demais parentes, e, afinal, fomos mais uma vez a Paris e visitamos a casa e o jardim de Monet, em Giverny (senti-me dentro, fazendo parte dos quadros pintados pelo pintor impressionista em seu jardim!). De Paris  retornamos ao Brasil. Uma viagem encantadora.


[1] Encontrava-se na China quando tiveram lugar os acontecimentos totalitários da Praça da Paz Celestial, em Pequim.

Anúncios