V – Pós-Graduação dos Pais; Pós-Doutorado

         A Edith, em 1973, conquistou seu título de Doutora em Medicina, pela Faculdade de Medicina da USP.

         Em 1984, defendi minha Dissertação de Mestrado sobre a sociedade e cultura dos índios Tuxá, na Escola Pós-Graduada de Ciências Sociais, da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, tendo, então, recebido o título de Mestre em Ciência (Antropologia)[1].

         De 1991 a 1996, com bolsa da CAPES, fiz os cursos de doutorado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-PUC/SP, tendo, nesse último ano, defendido minha Tese sobre a obra do antropólogo Eduardo Galvão, recebendo o título de Doutor em Ciências Sociais (Antropologia)[2].

          Fiz um pós-doutorado, de 2000 a 2004, no Museu de Arqueologia e Etnologia-MAE/USP, quando desenvolvi meu projeto de estudo sobre máscaras rituais de dança dos índios Tükúna (cf. Orlando Sampaio Silva – “O sendo estético na produção de exemplares artísticos de alguns povos indígenas: Projeto de Estudo” [“The aesthetic sense in the prodution of artistic objects of some Indigenous peoples: study Project”], Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia – MAE/USP, N° 9, S. Paulo, 1999, e – “Máscaras de dança Tükúna” [“Tükúna dance masks”], Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia – MAE/USP, N° 10, S. Paulo, 2000). Outra atividade importante de que participei e que, ao lado do estudo das máscaras tükúna, centralizou meus trabalhos, durante este período em que estive no MAE/USP, foi meu Projeto de Homenagem a Herbert Baldus no transcurso dos 100 anos de seu nascimento do qual fui o Coordenador Científico. O projeto com o preito a Baldus se consubstanciou nos seguintes eventos: a) Exposição Herbert Baldus – 100 Anos (temporária), no prédio do Museu; b) Seminário Herbert Baldus, que se efetivou parte no MAE/USP, parte no Dept. de Antropologia da FFLCH/USP; c)  publicação de meu ensaio sobre H. Baldus: Orlando Sampaio Silva – “O antropólogo Herbert Baldus”, Revista de Antropologia, Vol. 43, n° 2. Dept. de Antropologia-FFLCH/USP, São Paulo, 2000. Foram expositores no Seminário os professores: Maria Helena de Figueiredo Steiner, Sílvia Maranca, João Baptista Borges Pereira, Lux Vidal, Luiz Henrique Passador e Orlando Sampaio Silva (expositor e coordenador) .[3]


[1] A Banca Examinadora do Mestrado estava assim constituída: professores doutores Edson S. Diniz, Alfonso Trujillo Ferrari, Oswaldo M. Ravagnani, Alfredo João Rabaçal, Marina A. Marconi, Flávio de Braga e Antônio Rubbo Muller  (orientador).

[2] Compuseram a Banca Examinadora do Doutorado os professores doutores Carmen Junqueira (orientadora) (PUC-SP), Sílvio Coelho dos Santos (UFSC), Edgard de Assis Carvalho (PUC-SP), Nobue Myazaki (USP) e Lúcia Helena Rangel (PUC-SP).

[3] Como parte importante do meu Projeto da Homenagem a H. Baldus, deveria ter sido publicado, na Revista do MAE/USP, o Dossiê Herbert Baldus – 100 Anos. Organizei o Dossiê, que tinha as seguintes partes constitutivas: a) Apresentação – Orlando Sampaio Silva; b) Artigo em homenagem a Baldus: Lux Vidal –  “Uma Saga Brasileira”; c) Artigos sobre Baldus: Orlando Sampaio Silva – “O Antropólogo Herbert Baldus”; Maria Helena C. de Figueiredo Steiner – “Herbert Baldus: 1899 – 1970, Uma Vida de Trabalho”;  Luiz Henrique Passador – “Herbert Baldus: A trajetória de um acaso?”; d) Depoimentos sobre Baldus: Francisco M. Salzano – “Herbert Baldus – Depoimento”; Niède Guidon – “Herbert Baldus”; Vilma Chiari – “Herbert Baldus”; Sílvia Maranca – “Baldus que eu conheci”; Betty Meggers – “Remembering Herbert Baldus”; e) Dois artigos inéditos no Brasil de Herbert Baldus (tradução do alemão): “O Sistema Dual dos Índios Kaingang” e “Tarefas da Investigação Etnológica e Lingüística no Brasil”. Lamentavelmente o Dossiê não chegou a ser publicado. Do dossiê, por decisão da direção da Revista, apenas meu artigo sobre Herbert Baldus foi publicado na Revista de Antropologia, USP, 2000 (cf. acima).