MEMÓRIA, TESTEMUNHO, HISTÓRIA, ACADEMIA, EXÉRCITO, EDUCAÇÃO

Introdução

          A idéia originária referente a este texto continha a expectativa de que, para a sua elaboração, na totalidade, a única testemunha seria a memória, a minha memória e rara prova documental. Procurei recordar e registrar fatos do passado, narrativas de meus pais, que foram tantas, também de outros parentes, as viagens, mudanças individuais e grupais em minha família, acontecimentos que podem caracterizar as personagens que aqui aparecem como integrantes de uma família migrante[1]. Utilizaria algumas informações que me foram passadas por meus pais, muitas com grande precisão e, em raríssimos casos, faria ilações, deduções ou interpretações a partir das informações de que disponho. Também dispunha de algumas poucas informações que me foram prestadas por outros membros da família. Procuraria seguir, em termos gerais, uma cronologia dos fatos narrados nos quais me deteria em um texto conciso, fragmentário, factual, com simplicidade, sem pretensão de fazer literatura e sem intenção autobiográfica. No processo de criação do texto, por injunções da minha memória e do desenvolvimento da exposição dos meus testemunhos familiares, passei a valorizar registros mais detalhados e amplos, que podem ser uma síntese histórica de minha família. Esta memória do passado me levou, também, a explicitar, mais detidamente, minha atuação profissional, estudos, viagens, publicações de livros e artigos, e, a enveredar por outras narrativas, reconstituições e interpretações de fatos  culturais e sociais de que fui, em grande parte, testemunha, muitas vezes, personagem, em abordagens históricas, sociológicas, antropológicas, filosóficas e políticas, procedendo, para registro histórico, algumas análises-críticas de acontecimentos ocorridos em um cenário muito mais amplo que extrapolou o de minha família. O texto deixou de ser somente sobre a família e, em especial, sobre seu caráter migrante, transcendendo para o horizonte de um testemunho-reflexão de maior amplitude em relação ao meu país e, mesmo, ao Mundo. A política passou a ocupar um espaço importante no texto. Na realidade, o texto se avolumou tanto que se transformou em três livros. Um deve ser publicado por uma editora de São Paulo. Outro a ser publicado por uma editora de Belém. E, afinal, os textos que se seguem divulgados na Internet.[2]                                     


[1] Concentro-me, basicamente, em minha família consangüínea e na família conjugal.

[2] Em edições anteriores xerografadas, este texto se intitulava: “VIDA E FAMÍLIA DE MIGRANTES – Registros para a história de minha família”. Escrevi a primeira edição xerografada deste texto em face de meus 75 anos, que se aproximavam. Ao lançar a 4ª edição, em novembro de 2008, encontrava-me com 76 anos de idade, prestes a completar 77. A 5ª edição, muito ampliada, foi elaborada para publicação em 2009, estando eu com 77 anos. Porém, não vislumbro completude para este texto; em 2010, ele continua sendo aumentado! Estas edições (do autor) referidas nesta nota foram cópias xerocadas e encadernadas, em pequenas tiragens para distribuição em círculo restrito de parentes a amigos.

Anúncios
Publicado em Introdução | 4 Comentários